Conjuntivite alérgica

A conjuntiva é um tecido transparente que reveste o interior das pálpebras e a parte branca do olho, denominado esclera. A inflamação da conjuntiva é uma condição bastante comum que atende pelo nome de conjuntivite e pode ser causada por processos virais, infecciosos e alérgicos. 

Conjuntivite alérgica é aquela que ocorre quando o corpo entra em contato com um alérgeno como pólen ou poeira, o sistema imunológico reage de forma muito abrupta contra esse agente externo. A conjuntivite alérgica é um dos tipos mais comuns de conjuntivite e geralmente é muito comum em crianças.

Conjuntivite alérgica

A conjuntiva é um tecido transparente que reveste o interior das pálpebras e a parte branca do olho, denominado esclera. A inflamação da conjuntiva é uma condição bastante comum que atende pelo nome de conjuntivite e pode ser causada por processos virais, infecciosos e alérgicos. 

Conjuntivite alérgica é aquela que ocorre quando o corpo entra em contato com um alérgeno como pólen ou poeira, o sistema imunológico reage de forma muito abrupta contra esse agente externo. A conjuntivite alérgica é um dos tipos mais comuns de conjuntivite e geralmente é muito comum em crianças.

O que é conjuntivite alérgica?

A conjuntiva é uma membrana fina e transparente que reveste a esclera e tem a função proteger a estrutura ocular de agentes externos. A conjuntiva é uma das partes do olho mais exposta ao exterior e, portanto, apresenta maior risco de entrar em contato com partículas microscópicas, substâncias tóxicas e alérgenos.

Se uma pessoa é alérgica ao pólen e seus olhos entram em contato com esse alérgeno, é muito provável que desencadear uma conjuntivite alérgica, que consiste na inflamação da conjuntiva devido a uma resposta excessiva do sistema imunológico a um agente alergênico.

A conjuntivite alérgica pode ser acompanhado por outras manifestações alérgicas como rinite, asma e urticária. A reação alérgica pode ser desencadeada por diferentes alérgenos, mas os mais comuns são o pólen e os ácaros.

Tem seu maior impacto entre abril e setembro, quando começa a primavera e termina o verão. Isso porque nesse período há uma maior quantidade de pólen no ambiente e, por isso, também pode ser chamada de conjuntivite sazonal.

A conjuntivite alérgica pode ser um condição crônica, ou seja, dura com o tempo. Isso geralmente ocorre em pacientes que são alérgicos aos ácaros e que podem estar em contato com o alérgeno durante todo o ano. Nesses casos, as medidas preventivas devem ser abrangentes e limpeza doméstica desempenha um papel fundamental para evitar ataques de alergia.

o alérgenos que podem causar conjuntivite alérgicos são:

  • Células, pelos ou pelos de animais domésticos.
  • Fungos que estão presentes no molde.
  • Ambientes excessivamente úmidos.
  • Produtos cosméticos.
  • Medicamentos antibióticos.
  • Pólen.
  • Ácaros.

Causas

Quando os olhos entram em contato com um determinado alérgeno, o sistema imunológico reage liberando histamina e outros mediadores em excesso. Essas substâncias gerar uma reação no corpo chamada alergia, que pode causar diversos sintomas, como dilatação capilar, aproximadamente 1 hora após o contato com o alérgeno. 

A conjuntivite alérgica pode ser acompanhada por outras respostas alérgicas como rinite, asma, urticária e alergias alimentares. 

Dependendo de sua causa, pode ser:

conjuntivite alérgica
  • Conjuntivite alérgica sazonal: é causada pelo pólen de flores e arbustos, esporos de fungos e partículas de árvores ou flores que se encontram no ar, entre outros. Essa conjuntivite alérgica ocorre na primavera, no final do verão ou no início do outono e termina durante os meses de inverno.
  • Conjuntivite alérgica pereneTambém conhecida como ceratoconjuntivite atópica, é causada por ácaros, pelos ou pelos de animais e outros fatores não associados a uma estação do tempo. Os alérgenos que causam esse tipo de conjuntivite alérgica tendem a causar desconforto ao longo do ano e quase sempre são encontrados em residências.
  • Conjuntivite alérgica Vernal: Este tipo de conjuntivite alérgica é a mais grave e costuma afetar o sexo masculino entre os 5 e os 20 anos de idade que sofreram de asma, eczema e alergias sazonais. Essa condição é mais comum na primavera e no início do outono.

Sintomas de conjuntivite alérgica

Conjuntivite alérgica geralmente afeta os dois olhos ao mesmo tempo e pode causar o seguinte sintomas:

  • Olhos com coceira crônica. 
  • Vermelhidão dos olhos devido à dilatação dos capilares. 
  • Epífora ou lacrimejamento excessivo. 
  • Secreção ocular que pode ser aquosa, mucosa ou amarelada. 
  • Edema palpebral devido à retenção de líquidos. 
  • Sensação de ter areia ou algum corpo estranho nos olhos. 
  • Fotofobia ou sensibilidade à luz. 
  • Legañas esbranquiçadas. 
  • A conjuntiva pode parecer translúcida ou azulada.

Diagnóstico

Para diagnosticar a conjuntivite alérgica é importante estude os sintomas do paciente e realizar um exame oftalmológico. 

Ao estudar a estrutura ocular com o lâmpada de fenda Sinais óbvios de uma reação alérgica na conjuntiva, como a presença de eosinófilos em esfregaços, podem ser detectados. 

Esse teste geralmente é suficiente para o diagnóstico de conjuntivite alérgica. Se o paciente não responde adequadamente ao tratamento ou tem um conjuntivite crônica mais estudos podem ser necessários.

conjuntivite alérgica

Tratamento da conjuntivite alérgica

Com exceções, para o tratamento de conjuntivite alérgica eles são prescritos colírio tópico, antiinflamatórios não esteróides, corticosteróides tópicos, lágrimas artificiais e anti-histamínicos orais.

Para uma recuperação rápida, é importante que o paciente cumpra o seguinte recomendações:

  • Não esfregue seus olhos Bem, em vez de acalmar a coceira, fica pior.
  • Lave e desinfete as pálpebras com água destilada e sabão de pH neutro.
  • Aplicar compressas frias sobre os olhos para aliviar os sintomas.
  • Não use perfumes sem loções perfumadas.
  • Não usando lentes de contato.
  • Usar óculos de sol para proteger os olhos.

Tratar também é importante Evitar, na medida do possivel, qualquer contato com o fator alergênico que desencadeou a doença. Se a causa for os ácaros do pólen em casa, é importante aspirar, em vez de varrer, a casa e os quartos e evitar cortinas e tapetes.

Como prevenir a conjuntivite alérgica?

A melhor maneira de evitar a conjuntivite alérgica é preveni-la, reconhecer o fator alérgico e tome todas as medidas necessárias não estar em contato com ele. Algumas recomendações para prevenir a conjuntivite alérgica são: 

  • Limpe a casa diariamente e de preferência com um aspirador em vez de uma vassoura.
  • Evite ter em casa cortinas de tecido, tapetes, mantas de camurça ou veludo, bichos de pelúcia e mosquiteiros. 
  • Usar colchões e lençóis sintéticos para evitar que os ácaros se acumulem neles. 
  • Mudar a roupa de cama a cada dois dias
  • Evite o contato com animais que deixam cabelo ou caspa. 
  • Usar filtro de pólen no carro e dirija com as janelas fechadas. 
  • Em dias de primavera ou com muito vento mantenha as janelas de casa fechadas.
Resumo
Conjuntivite alérgica. O que é, causas, sintomas e tratamento
Nome do artigo
Conjuntivite alérgica. O que é, causas, sintomas e tratamento
Descrição
A conjuntivite alérgica é aquela que ocorre quando o corpo entra em contato com um alérgeno, como pólen ou poeira, e o sistema imunológico reage de forma muito abrupta contra esse agente externo.
autor
Nome do editor
Área Oftalmológica Avanzada
Logotipo do Editor

Nossos Mutuais

Dr. Carlos Vergés

Equipe médica

Fundação

gestão

Informações para contato

EDIFI JARDI, Gran Via de Carles III, 71, FLOOR 0, 08028 Barcelona

93 551 33 00

WhatsApp: 640 550 238

info @ areaoftalmologica.com

Seguir

/ * Estilos para o menu dobrável móvel Divi * / / * JS para o menu dobrável móvel Divi * /